Your address will show here +12 34 56 78
Dicas Canadá
A demanda por cursos de intercâmbio está cada vez maior: Segundo uma pesquisa feita pela pela Belta (Associação Brasileira Especializada em Educação Internacional), houve um aumento de 20.86% de estudantes internacionais entre os anos de 2017 e 2019. Seja para aprimorar o inglês e o currículo com uma experiência internacional ou para imigrar para um outro país, um intercâmbio é uma ótima maneira de atingir seus objetivos.

A imersão com a comunidade local de um novo país fornece não só uma vivência cultural única, mas também é uma ótima chance de aprimorar e até mesmo dominar uma segunda língua, praticando com nativos. Com Universidades que estão entre as melhores do mundo e um povo que é conhecido por ser acolhedor, não é surpresa que o Canadá está entre os lugares mais procurados por brasileiros para intercâmbio, e o país pode ser o destino certo para você. 

O domínio de uma segunda língua, em particular o inglês, já se tornou algo praticamente indispensável no currículo do Brasileiro. Inclusive, segundo uma pesquisa realizada pela Hays Recruiting Experts Worldwide, líder mundial em recrutamento e seleção, 91% das empresas brasileiras exigem algum nível de inglês de seus funcionários.

Além disso, se seu objetivo é fazer algum curso de nível superior em uma instituição internacional, é bastante provável que você precise provar o seu nível de idioma a fim de ser aceito.

Mas como provar seu nível de inglês? Juntamos abaixo os testes mais reconhecidos – tanto no Brasil quanto pelas Universidades Internacionais. Mas antes, algumas considerações:

É importante notar que com exceção do CAE (Cambridge), os exames de proficiência em si não possuem uma nota mínima de aprovação. Cada universidade determinará o próprio requisito de aprovação – por isso, é importante checar as exigências da instituição de sua escolha.

Nenhuma prova é necessariamente fácil ou difícil – cada uma possui um estilo diferente, e será o aluno que vai decidir qual a prova ideal para seu perfil. Independente da escolha, além do conhecimento da língua, é importante se familiarizar com a estrutura da prova, principalmente nas seções de escrita: procure fazer simulados e acessar respostas-modelo.

TOEFL




O exame TOEFL talvez seja o mais conhecido entre os brasileiros. Disponível em mais de 50 datas durante o ano e aplicada em diversas localidades do mundo, a prova é administrada pela Educational Testing Service (ETS), sendo aceita pela maioria das universidades do Canadá e da América do Norte em geral. 

O conteúdo abordado no TOEFL, por ser um teste voltado ao ambiente acadêmico, costuma estar vinculado à vida universitária em geral, que incluem desde conversas entre alunos sobre algum problema da escola, à palestras e aulas dos mais diversos temas. Embora a prova fuja de palavras e linguajar técnico, não chega a ser o inglês que alguém usaria no dia-a-dia – por isso, é importante ter uma preparação adequada.

O TOEFL é feito inteiramente de maneira eletrônica. No centro de aplicação da prova, cada candidato será designada à um computador individual.

Com duração de 4 horas e 30 minutos, o teste é dividido em 4 partes, valendo 30 pontos cada: Reading, Listening, Speaking e Writing.

Reading

30 a 40 perguntas
De 54 a 72 minutos

Na sessão reading do TOEFL, o candidato deverá ler e analisar 3 ou 4 pequenos textos acadêmicos. O candidato não precisa ter entendimento do assunto em questão para responder as perguntas – o vocabulário é sempre contextualizado e claro. 

Como o texto fica disponível na tela junto com as perguntas, a dica é ler primeiro a questão e depois procurar pela resposta na passagem – assim, economizando um tempo precioso!

Listening

5 a 7 gravações 
28 a 39 perguntas
41 – 57 minutos

Com linguagem e sotaque predominantemente americanos, o listening do TOEFL, tem de 3 ou 4 gravações que, assim como o restante da prova, abordam o ambiente universitário, incluindo conversas entre alunos até palestras e aulas. Diferentemente da seção reading, você não terá acesso aos áudios durante as questões  e poderá ouví-los apenas uma vez. Por isso, a dica aqui é diferente! Preste atenção nas gravações e, se possível, faça anotações pessoais.

Speaking

4 tarefas
17 minutos

Como já dissemos, o TOEFL é realizado inteiramente no computador, e isso inclui a seção speaking – as respostas serão gravadas através de um headset para serem corrigidas posteriormente pelos avaliadores. 

Essa parte consiste em 1 tarefa independente e 3 tarefas integradas. A tarefa independente consiste em uma opinião pessoal em relação a algum problema – podendo ser pessoal, social, entre outros. Após a apresentação do tema, o candidato terá 15 segundos para se preparar e 45 segundos para responder.

Já as tarefas integradas envolvem ler um texto, ouvir uma gravação, e depois responder uma questão comparativa entre as duas passagens.

Para tais tarefas, o candidato tem 30 segundos para se preparar e 60 segundos para responder.

Writing

2 tarefas
50 minutos

A primeira tarefa da seção writing do TOEFL consiste em ler uma passagem, escutar um áudio, e depois responder uma questão que compara os dois. Já a segunda tarefa é de cunho pessoal – uma opinião ou preferência sobre um problema ou situação apresentada – novamente, podendo ser de assuntos variados. O importante aqui é escrever um texto claro, eficiente e objetivo, apresentando o seu ponto de vista sem devaneios e com uma boa argumentação. Não utilize gírias ou expressões muito informais – a prova não exige um vocabulário avançado, mas lembre-se do contexto acadêmico que está inserido!

IELTS




Administrado pelo British Council, o teste IELTS possui duas versões: Academic e General – a estrutura das duas é a mesma: O Academic, assim como o TOEFL, é aceito na maioria das universidades dos países de língua inglesa – inclusive o Canadá. Já a versão General é voltada para fins de imigração. Porém, diferentemente do TOEFL, o IELTS apresenta diferentes tipos de sotaque, como australiano e britânico.

O IELTS, como o TOEFL, também é dividido em 4 seções: Listening, Reading, Writing e Speaking. Dependendo da localidade, o teste pode ser realizado de forma digital no computador, ou de forma tradicional, com papel e caneta. Porém, independente da escolha, a seção speaking é feita com um entrevistador, normalmente em uma data diferente do restante do exame.

A prova completa leva em torno de 2 horas e 45 minutos, e cada seção é pontuada com uma nota de 0 a 9. A pontuação final é a média dessas notas.

Reading

40 questões
60 minutos

A seção reading do IELTS exige não apenas vocabulário e interpretação de texto, mas também gramática – a prova é considerada bem exigente nesse ponto. O candidato, assim como no TOEFL, ainda terá acesso ao texto durante as perguntas, por isso a dica é a mesma: ler as questões antes, e só depois o texto. Outro conselho importante é: pratique! Leia conteúdos em inglês, veja filmes e séries com legenda em inglês, etc – quanto mais, melhor!

Listening

4 seções
30 minutos

O candidato analisará 4 gravações de diversos temas e situações, desde conversas do cotidiano entre um grupo de amigos à palestras universitárias.

As perguntas irão testar a habilidade do candidato de entender tanto o conceito principal do tema apresentado quanto informações detalhadas das conversas e aulas.

Writing

2 tarefas
60 minutos

Academic:

Na primeira tarefa, um gráfico ou uma tabela é apresentado e o candidato deve descrever e explicar as informações neles contidos com suas próprias palavras, de forma clara e objetiva.

Já a segunda tarefa, assim como a prova do TOEFL, envolve a opinião pessoal sobre um assunto ou problema apresentado. A diferença aqui é a linguagem da prova: O IELTS exige um tom um pouco mais formal do que o TOEFL.

General:

Na primeira tarefa, a prova expõe um problema e o candidato deverá escrever uma carta explicando ou comentando tal situação. O tom da linguagem aqui vai depender do tema da tarefa, podendo ser pessoal ou formal.

A segunda tarefa envolverá um ponto de vista do candidato frente à uma discussão ou complicação. Aqui, a linguagem pode ser um pouco mais pessoal do que a primeira tarefa.

Speaking

3 partes
11 a 14 minutos.

A seção speaking do IELTS, ao contrário do TOEFL, é feita através de uma conversa com um entrevistador, e é dividida em 3 partes. Primeiramente, o candidato responde perguntas em relação a temas familiares, como família, trabalho e interesses. Depois, um determinado tópico é apresentado, e após de uma preparação de 1 minuto, o candidato pode expor sua opinião por 2 minutos. Por último, o aluno responderá às perguntas do entrevistador, feitas sobre o tema apresentado anteriormente.

CAMBRIDGE




O teste de proficiência de Cambridge, o CAE, pode ser um pouco menos conhecido, se comparado a exames como TOEFL ou IELTS, mas nem por isso é menos valorizado pelas instituições canadenses, sendo aceito nas principais escolas como University of British Columbia e University of Toronto.

A estrutura do exame de Cambridge é semelhante à das anteriores, divididas em 4 seções, com cerca de 4 horas de duração no total.

A pontuação vai de 160 a 210, mas apenas aqueles que conseguirem uma nota maior do que 180 recebem certificado. De 180 a 200, é considerado nível C1, e acima de 200, nível C2.

Leitura, Gramática e Vocabulário.

8 partes
56 questões
90 minutos

O candidato deverá ler e responder questões pontuais sobre diversas passagens apresentadas, que compreendem desde trechos de livros à colunas de revistas dos mais diversos temas. Já as questões variam entre os formatos de múltipla escolha, correspondência ou preenchimento de lacunas.

Escrita

2 tarefas
90 minutos

A primeira tarefa do exame CAE, assim como no TOEFL e IELTS, envolve uma dissertação de cunho pessoal, onde o candidato irá expor sua opinião sobre um determinado tópico. Já a segunda tarefa varia bastante, podendo ser formatos como cartas, propostas, e-mails ou até críticas.

Compreensão

4 partes
30 questões
40 minutos

O candidato deverá ouvir e responder questões sobre gravações de diversos formatos, como trechos de rádio, entrevistas, apresentações e conversas do dia-a-dia. Diferentemente dos demais exames de proficiência, em que o áudio está disponível apenas uma única vez, no CAE, cada gravação é repetida duas vezes,

Expressão oral

4 partes
15 minutos.

Assim como o IELTS, o CAE é feito junto com um avaliador. Essa prova se difere na estrutura: enquanto as duas primeiras tarefas são feitas de maneira individual, as duas demais são feitas em dupla com outro candidato. 

PTE



O PTE, administrado pela Pearson PLC Group, talvez seja o menos conhecido da lista, mas também é uma ótima opção para quem quer comprovar a proficiência no inglês e fazer um intercâmbio para o Canadá. A prova vem se tornando cada vez mais popular, e é aceita por diversas universidades e instituições canadenses. Vale verificar se a instituição de ensino aceita esse teste, ok?

A prova dura entre 2 horas e 30 minutos à 3 horas, e a principal diferença do PTE para os demais testes é a estrutura: enquanto o IELTS, TOEFL e CAE possuem uma divisão clara em suas sessões, o PTE, por sua vez, é considerada uma prova altamente integrada, ou seja, as questões de listening podem estar ligadas às de speaking, por exemplo. 

Mesmo assim, ainda é possível se preparar de maneira objetiva para o teste, estudando o formato geral do exame.

O reading normalmente envolve cerca de 20 a 25 perguntas, em que o candidato deverá responder questões de múltipla escolha, preencher lacunas e reorganizar parágrafos dos textos e passagens apresentados.

Já no listening, após ouvir algumas gravações, o aluna responde questões que podem variar em formatos, como múltipla escolha, resumo das ideias principais da gravação, assim como preenchimento de lacunas.

Por último, as sessões speaking & writing podem solicitar ao candidato que resuma uma palestra, descreva uma imagem, leia um trecho em voz alta ou até que se apresente.

—-
Sendo qual for sua decisão da prova ideal para você, a Canucks oferece diversos tipos de cursos de inglês para garantir a sua melhor nota! Entre em contato conosco agora mesmo para garantir o seu lugar na universidade e na carreira dos sonhos.
0

Dicas Canadá
O número de brasileiros que foram fazer um intercâmbio no exterior em 2019, se comparado a 2017, cresceu de 302 mil para 365 mil – um aumento equivalente a 20.86%, segundo uma pesquisa feita pela Belta (Associação Brasileira Especializada em Educação Internacional). E o Canadá lidera a lista de destinos mais procurados por brasileiros há mais de 14 anos.

Destino Intercambio Brasileiros

Mas a pergunta que não quer calar: Por que? A liderança não é por acaso – os principais atrativos para a escolha dos brasileiros de fazer intercâmbio no Canadá, segundo os estudantes e agências consultadas na pesquisa, são os custos mais acessíveis (ainda mais se compararmos a cotação do dólar canadense com o dólar americano), a reputação de segurança, tolerância, receptividade calorosa e valores canadenses, e o renome do sistema de educação no Canadá, provenientes dos pesados investimentos no setor.

Se ainda quer ser mais específico, as principais cidades selecionadas para fazer intercâmbio são Toronto, Vancouver e Calgary – cada um por suas razões:

Toronto

Toronto

Toronto é a cidade mais populosa do Canadá – com mais de 5 milhões de habitantes – e tem um grande potencial quando o assunto é tecnologia, sendo um grande hub tecnológico mundial, reconhecido por sua economia crescente e vastas oportunidades de trabalho.


Vancouver


Vancouver

Se você gosta do outdoor, Vancouver é o lugar para você. São praias, ilhas, parques, trilhas e atrações de deixar qualquer um de boca aberta!

Além disso, engana-se quem acha que a indústria cinematográfica se concentra em Hollywood. Obras como O Homem de Aço, X-Men, Percy Jackson, 50 Tons de Cinza, Planeta dos Macacos, Godzilla, entre outros, foram filmadas em Vancouver.

A cidade também é atrativa pelos seus programas transformadores nas áreas de sustentabilidade ambiental, acessibilidade e inclusão.

Calgary


Calgary

Quando se pensa em Canadá, a maioria se foca nas duas cidades citadas acima – mas Calgary, além de ser uma das cidades mais populosas do país, com 1.2 milhões de habitantes, também é sede das principais empresas petrolíferas – sendo um centro financeiro e comercial.

É uma ótima opção para os brasileiros que querem aprender inglês no Canadá e ter uma experiência imersiva, mas ainda assim evitar a loucura das grandes cidades.

Um dos maiores atrativos fica por conta da paisagem: Localizada dentro de um parque nacional, Calgary é repleta de montanhas, cachoeiras, lagos e geleiras de tirar o fôlego.

E depois?


Depois de tudo isso, não é nenhuma surpresa dizer que grande parte dos intercambistas no Canadá, mesmo os que inicialmente pretendiam fazer apenas uma temporada de estudos, tenha interesse em se estabelecer no país. A Agência Canadense para a Educação Internacional fez um levantamento em 2018 com mais de 14 mil alunos:

Satisfacao Intercambistas

A segunda pergunta que devemos fazer é: Para quê? Segundo a mesma pesquisa feita pela Belta em 2019, o programa favorito pelos brasileiros no Canadá é o de aperfeiçoamento de línguas – e mantém essa posição há anos. Em segundo lugar vêm os programas de estudos e trabalho, e em terceiro, cursos de férias para adolescentes. 

A surpresa mesmo ficou por conta dos cursos de graduação, que passou de sexto lugar em 2017 para quarto em 2019, com um aumento de 37.7% em comparação. Para Laila Parada Worby, gerente da Crimson Education Brasil, empresa internacional de consultoria, esse crescimento leva em conta a preocupação dos brasileiros com o futuro de seu país. “O contexto político-econômico é muito mencionado por quem nos procura. Alguns pais e responsáveis acreditam que esses cortes (de verba pelo governo federal) vão prejudicar muito o ensino no País.”
Sobre a duração do intercâmbio, os programas mais curtos são a preferência:


Duracao Intercambio no Canada

A mesma pesquisa ainda constatou que 60% dos intercambistas são do sexo feminino, e a maioria viaja sozinha – Girl Power! 

E pra provar que não existe idade para ter experiências novas, o número de intercambistas acima de 50 anos aumenta cerca de 20% ao ano, sejam eles culturais ou educacionais. Segundo Maura Leão, presidente da Belta, “Em 2017 já tínhamos chegado na marca de 30 milhões de idosos no Brasil. Esse número só cresceu e ele também é refletido no setor de estudos no exterior. Afinal, esse público tem a tendência de já estar mais estável financeiramente e por isso podem fazer a tão sonhada viagem com intercâmbio que sempre quiseram fazer”.

E como fazer intercâmbio para o Canadá? Segundo a pesquisa, embora a maioria comece a pesquisar sobre programas e agências de forma online, a grande maioria (67%) fecham  pacote em uma loja física – isso significa que o fator segurança e atendimento pessoal ainda faz toda a diferença para o estudante e responsáveis.

———

Seja qual for sua idade, programa escolhido, gênero ou preferência – a Canucks está aqui para te apoiar durante todo o seu intercâmbio – desde a escolha do curso, aplicação de visto até sua estadia no Canadá! Entre em contato agora mesmo e torne o seu sonho realidade.
0

Dicas Canadá
Você está para finalizar seu período de estudos no Canadá, mas gostou tanto daqui que quer ficar por mais tempo? Nós entendemos completamente – e por isso mesmo trouxemos algumas informações sobre o PGWP. Você conhece esse tipo de permissão? Confira se você é elegível, como aplicar, e muito mais.

O que é PGWP?


PGWP significa Post Graduation Work Permit, e nada mais é do que uma permissão de trabalho de 8 meses a 3 anos (dependendo da duração dos seus estudos), para estudantes internacionais após a conclusão do curso. É uma ótima oportunidade para se colocar em sua área em um período integral, além da oportunidade de permanecer no país e dar continuidade à sua experiência canadense.

Mas calma, antes de fazer seus planos, saiba que há regras e requisitos a serem cumpridos – explicaremos tudo a seguir.

Quem pode aplicar?


Não são todos os cursos e faculdades que dão direito ao PGWP – existe uma série de requisitos. 

Para poder fazer a aplicação para o Post Graduation Work Permit, você deverá ter concluído um curso com as seguintes características:

– Full time.
– Mínimo de oito meses de duração.
– Faculdade pública, ou privada com fundos públicos (em nível de degree ou masters).
– A faculdade deve estar na lista de Designated Learning Institution (DLI). Você pode checar essa lista no site oficial do governo canadense.

Você NÃO é elegível ao PGWP se:

– Já recebeu um PGWP anteriormente.
– Ter realizado a maior parte do seu curso à distância.
– Se o seu curso foi de aprimoramento de língua estrangeira (inglês ou francês).
– A sua permissão de estudos não for mais válida.

Quando aplicar?


O prazo de aplicação é de até 180 dias contados a partir da data do recebimento da sua carta de conclusão ou transcript – mas você pode pedir o PGWP assim que receber o certificado de conclusão da sua instituição de ensino.

Posso continuar trabalhando depois que termino meu curso, mesmo ainda não tendo o certificado de conclusão?

Trabalhando no PGWP

Enquanto a sua permissão de estudos for válida, você ainda terá direito de trabalhar as suas 20 horas por semana – e apenas isso – nada de ultrapassar esse limite!

Após o recebimento do seu certificado de conclusão, o direito a trabalhar é automaticamente suspenso. Porém, assim que você solicitar o seu Post Graduation Work Permit, você se estará no chamado implied status (permissão do governo para que o indivíduo mantenha seu status legal no Canadá enquanto a decisão da aplicação de extensão/mudança de vista está sendo processada), e aí sim, poderá trabalhar full time, ou seja, 40 horas por semana.

Por quanto tempo ele é válido?


A validade do PGWP depende da duração do seu curso: Se ele for de 8 meses a um ano, o PGWP será equivalente ao seu tempo de estudos. Agora, se o seu curso foi de 2 anos ou mais, o seu Post Graduation Work Permit terá uma duração de 3 anos (tempo máximo de validade).

Contudo, é importante notar que a decisão final sobre a aplicação e a validade do seu PGWP,  fica inteiramente na responsabilidade do oficial de imigração avaliando o seu caso.

Se eu for casado/a, meu cônjuge também tem alguns direitos?


PGWP e Conjuge

O cônjuge (casado ou em união estável por mais de um ano) poderá solicitar a extensão somente se o estudante (aplicante do PGWP), no momento da aplicação, tiver uma proposta de trabalho que se encaixe dentro dos NOCs de categoria 0, A ou B (para saber mais sobre NOCs e suas categorias, você pode checar nosso vídeo no canal do youtube da e-Visa). Atenção: não estamos falando de uma empresa que patrocine o estudante ou um processo que envolva um LMIA (Labour Market Impact Assessment) , mas somente uma prova de contrato. O aplicante ainda precisará apresentar 03 pay stubs (contra cheques) como comprovação.

Na falta deste contrato, as opções do cônjuge se limitam a: matricular-se em uma instituição de ensino e continuar sua estadia como estudante, ou ficar apenas com o status de visitante.

Contudo, se o solicitante do PGWP posteriormente receber uma oferta de trabalho, o cônjuge poderá, então, aplicar para o visto de trabalho.

Quanto tempo demora para sair? Quanto custa?


Segundo o site oficial do governo canadense, o tempo de processamento 

é de 120 dias (informação coletada em outubro de 2019). O site é atualizado constantemente, mas é importante notar que ele pode variar de caso a caso.

Quanto ao custo, atualmente o valor da taxa para aplicação do PGWP é de CAD $255.00.

Quantas vezes eu posso aplicar?


Você só pode aplicar para o PGWP uma vez na vida – Por isso, se você pretende trabalhar em tempo integral ou até imigrar para o Canadá, sugerimos que você complete um curso de pelo menos dois anos, para que assim, tenha mais tempo com uma permissão de trabalho para adquirir sua experiência canadense. 

E a vida após o Post Graduation Work Permit?


Imigrar Canadá

Sabemos que o preço para estudar em um College no Canadá não é pouco – e o período do PGWP é uma ótima oportunidade para recuperar um pouco desse investimento. Contudo, se você pretende ficar no Canadá após seu período de trabalho com o PGWP, é bom começar a se planejar desde cedo!

Se você pretende apenas continuar apenas com seu visto de trabalho, a sua opção é o visto de trabalho com patrocínio através do processo chamado LMIA (Labor Market Impact Assessment). Contudo, mantenha em mente que esse é um processo arriscado, visto que é feito pelo empregador e é necessário comprovar que não há candidatos canadenses que atendam aos requisitos daquela vaga. Se você quer saber mais, assista o vídeo dos nossos parceiros e-Visa Immigration Services sobre o LMIA no Youtube.

Agora, se você é cidadão brasileiro e já está decidido a imigrar para o Canadá de vez, agende uma consulta com os nossos parceiros da e-Visa Immigration Services, e eles te ajudarão na aplicação para a residência permanente através do CEC (Canadian Experience Class. Para qualificar para esse programa, é necessário:

Pelo menos um 1 de experiência de trabalho no Canadá nos últimos 3 anos. (em NOCs 0, A ou B – para saber mais sobre NOCs, visite o canal no Youtube dos nossos parceiros da e-Visa Immigration Services).
Atingir o nível de conhecimento de idioma necessário para o seu trabalho através de uma das provas oficiais. (CELPIP General Test ou IELTS General Training para inglês; TEF ou TCF para francês).

———-

Seja para ficar um tempo ou morar no Canadá, a Canucks está aqui para te auxiliar durante todo o processo. Com a nossa parceria com a e-Visa Immigration, estaremos do seu lado desde a escolha de curso e instituição certa para você até a conquista do visto de trabalho e a tão sonhada residência permanente! Entre em contato agora e agende uma consulta com um de nossos especialistas em intercâmbio, vistos e imigração.
0